Podcast O Drone Saltitante: Carbono Alterado & Alamut

Marcando o retorno da dupla Diana Ruiz e Igor Rodrigues, o episódio lançado em 02/03 abordou o livro Carbono Alterado. Para que mantém o hábito de ouvir podcasts, provavelmente irá gostar da nova abordagem de O Drone Saltitante.

Sobre a discussão acerca da obra postcyberpunk, as opiniões são bastante honestas, pois reconhecem características do livro que pretendo abordar numa resenha após realizar a releitura de Carbono Alterado.

Ep. #127 – Carbono Alterado & Alamut

Anúncios

Os Dias Da Peste

Sinopse:
A história se passa em um Rio de Janeiro sombrio e cyberpunk e narra a história de Artur Mattos, um técnico em computadores e professor universitário que ganha a vida percorrendo empresas cujos donos estão desesperados com as panes de suas máquinas. Mostrando a vida solitária e ambígua de Artur, o livro tenta provocar a questão – Será que devemos temer e impedir a inteligência artificial por causa do efeito nocivo de suas tecnologias?

7857028._UY630_SR1200,630_ Continuar lendo

Terra Incognita

Dentre tantos canais de resenhas no YouTube, o Terra Incognita tem um diferencial: análise de livros de ficção científica ainda não publicados no Brasil. Só por isso, o canal já merece uma conferida.

Criado pelo autor, tradutor e pesquisador literário Fábio Fernandes, o canal é uma ótima fonte de informação para se conhecer algo que nós (leitores sem domínio da língua inglesa) perdemos sobre publicações estrangeiras. Mas fiquem avisados: Fábio é um homem de opiniões fortes e o canal não tem periodicidade definida.

Terra Incognita:
https://www.youtube.com/c/TerraIncognitaBooksNStuff

Deixo em destaques dois vídeos que abordam o movimento cyberpunk. O primeiro é sobre a coletânea Mirrorshades (1986), que continua sem publicação no Brasil.

O segundo é sobre um bate papo muito questionador sobre o que foi e o que é o cyberpunk. Acho as questões abordadas nesse vídeo essenciais para quem procura escrever algo dentro do gênero, ou discutir novos conteúdos e obras.

#Curta: Man In Phone

Imagine acordar dentro de seu smartphone. Essa é a premissa de Man In Phone (2016), a curta metragem dirigida por Mackenzie Sheppard.

De maneira inexplicável, um homem japonês acorda preso dentro de seu smartphone. Transportado para essa outra realidade, ele apenas consegue observar o mundo exterior por de trás da tela, incapaz de se comunicar. A situação, então, o faz confrontar o estrago que o vício tecnológico causou a sua vida.

A produção japonesa consegue surpreender em vários aspectos. A começar pela solução simples de como representar o homem enclausurado, fazendo um bom uso da câmera, do jogo de luzes e explorando o espaço ao redor do smartphone. Mas o principal fator é a crível atuação de desespero do sujeito a observar tudo por de trás de uma tela. Os efeitos especiais são de boa qualidade, assim como os sonoros. Em dado momento apresentam um ciberespaço com uma estética até parecida com o que imaginávamos a algumas décadas, mas com ícones de aplicativos como são usados hoje.

Talvez o mais incrível de Man In Phone sejam as reflexões que ele proporciona em seus menos de oito minutos, além de um desfecho na medida do necessário.

Ou assista pelo Vimeo:

Podcast Ultrageek: Hackers – Piratas De Computador

O podcast da Rede Geek, o Ultrageek, abordou o filme Hackers – Piratas De Computador (1995) em um de seus episódios. Explorando os erros técnicos propositais, a equipe justifica as escolhas do diretor em usá-los, também comentam as tecnologias e técnicas de phreaking/hacking que se tornaram datadas. E com bastante humor citam os pontos mais marcantes do filme, as referências, influências e seus personagens fora do comum.

http://www.redegeek.com.br/2015/05/26/ultrageek-196-hackers-piratas-de-computador/

Cyber Brasiliana

Sinospe:
Em uma realidade alternativa, que se desenvolve em um universo pós-cyberpunk, no qual os países do eixo-norte do globo se encontram em decadência, confrontados pelas três grandes potências surgidas no eixo-sul – a União da República Brasiliana, a Africanísia e a Euronova. A qualidade de vida abaixo da linha do equador assume ares de utopia, enquanto no outro hemisfério as corporações lutam pelo controle dos espólios dos antigos países. Nesse cenário, em que uma parte da economia mundial está visivelmente instável, o equilíbrio é mantido por meio da força, de uma consistente e bem defendida base econômica, e da tecnologia que avançou a passos largos até se tornar fundamental à vida. Foi nesse contexto que o Hipermundo se desenvolveu. Um sistema baseado em uma super-rede de servidores, no qual as pessoas desfrutam de uma forma complexa de realidade aumentada, utilizando-a para trabalho, socialização, cultura e registro digital de todas as informações mundiais.

Cyber Brasiliana

Continuar lendo

Hackers (1995)

Lançado em 1995, ano de grande importância (e por que não dizer também mudanças?) para o gênero, Hackers trazia ao cinema uma visão pop da cultura hacker.

Sinopse:
Aos 11 anos, um adolescente conhecido como Zero Cool se torna uma lenda depois de inutilizar 1507 computadores em Wall Street, provocando um caos no mundo financeiro. Proibido de usar um computador até chegar aos 18 anos, ele finalmente retorna sob o codinome Crash Override. Junto de seus novos amigos, ele terá de reunir evidências contra um complô que tenta os incriminar, ao mesmo tempo em que são perseguidos pelo Serviço Secreto.

Continuar lendo