#Curta: Tears In The Rain

Baseado no universo do livro Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas?, de Philip K. Dick, a produção sul africana Tears In The Rain é uma curta metragem, que mergulha profundamente na estética de Blade Runner (1982).

Escrito e dirigido por Christopher Grant Harvey, Tears In The Rain nos brinda com um interessantíssimo plot, movido pelo questionamento: se replicantes são indistinguíveis dos humanos, o que aconteceria se um humano fosse “aposentado” por acidente? Essa abordagem é apresentada pelo engenheiro John Kampff, personagem que se complementa a história de detecção de replicantes de maneira brilhante.

A ambientação segue o denso clima do filme de 1982, além de trabalhar com outros recursos quase idênticos, como a trilha sonora, luzes e figurino. A pós-produção acabou exagerando no volume da música, que compete com as vozes dos atores e deixando o som ambiente um pouco esquecido. As atuações e o uso da câmera fazem o preço da produção, estimado em somente $1500, ser quase inacreditável. Infelizmente, o vídeo disponibilizado não tem legendas, fato que prejudica os não falantes da língua inglesa, pois todo o roteiro é baseado em diálogos.

Esse não é o único projeto feito por fãs que homenageia esse clássico do cinema, existe ao menos mais um a caminho de um crowdfunding. O meu medo é que essas produções acabem sendo melhores do que a continuação prevista para estrear em 2017.

Site oficial: http://www.christophergrantharvey.com/tears-in-the-rain.html

Ou assista pelo Vimeo: https://vimeo.com/201415219

#Curta: Loom

Escrito e dirigido por Luke Scott, filho de Ridley Scott, Loom nos apresenta um futuro onde a biotecnologia é explorada ao ponto de existirem direitos de uso do código genético, fato questionado pelo técnico de laboratório Tommy, interpretado por Giovanni Ribisi – O Resgate do Soldado Ryan (1998), Avatar (2009) e muitos outros.

A curta foi realizada para testar os limites de uma tecnologia que ainda era pouco usada em 2012, o 4k. Por isso, me surpreendi com a qualidade entregue de outros fatores, como: direção, atuação, fotografia e trilha sonora. Apenas não apreciei alguns dos efeitos sonoros, que ficaram exagerados.

A ampla gama de cores testadas nos cenários, dão um clima bem único a curta metragem, que também consegue entregar detalhes bem nítidos em ambientações escuras. Muitos compararam a obra com Blade Runner, principalmente pelo aspecto distópico. A trama questiona o tecnocorporativismo e encerra com uma citação de Origem das Espécies, de Charles Darwin.

Por fim, vale dizer que Luke dirigiu um longa, Morgan (2016), que mistura os gêneros horror e sci-fi. O filme teve seu trailer feito pelo computador IBM Watson, após a análise de centenas de trailers do gênero com as técnicas de aprendizado de máquina (learning machine). Luke parece seguir os passos do pai, o que pode ser um bom sinal para os fãs de ficção especulativa.

Como a resolução em 4k e 3D somente foram exibidas nos cinemas, temos de nos contentar com o 720p HD:

Blade Runner Sketchbook

Publicado pela Blue Dolphin Enterprises em 1982, o livro de esboços do aclamado Blade Runner, se encontra disponível online. Ele se tornou uma raridade, pois há anos se encontra fora de tiragem. Como o filme veio a se tornar um clássico do cinema de ficção, ele virou item de colecionador. Em uma pesquisa pela Amazon e AbeBooks, por exemplo, é possível encontrá-lo entre valores de U$ 300,00 a U$ 1.500,00 dólares, além da quantidade de exemplares ofertados, ser pequena.

Um livro como esse, raro e de preço tão elevado, estar disponível na internet, é uma grande oportunidade aos fãs da obra, que não teriam acesso a ela por outra maneira. O seu conteúdo é fascinante, principalmente aos entusiastas de design e ilustrações temáticas. Há esboços de variados objetos e cenários do filme, sendo introduzidos por uma breve explicação de seu conceito como parte daquele universo, como exemplo, a máquina Voight-Kampff (que detecta replicantes), os veículos e a Magnum .357 de Deckard.

A arte é assinada por Syd Mead, Mentor Huebner, Charles Knode, Michael Kaplan e Ridley Scott. Para quem não sabe, o famoso diretor Ridley Scott, também é ilustrador. Reuni alguns links com o material completo online, não estranhe se demorar para carregar, pois são mais de 90 páginas:

http://goonies1632.free.fr/bftp/Blade%20Runner%20Sketchbook.pdf

https://issuu.com/futurenoir/docs/bladerunner_sketchbook

http://imgur.com/a/rrDkL

#HQ: Blade Runner

Em 1977, a Marvel começava a lançar adaptações de filmes para os quadrinhos, pela Marvel Super Special. A maioria dos títulos lançados eram baseados em filmes de ficção, a exemplo de Star Wars, Jornada nas Estrelas e Duna. A edição #22 trouxe a adaptação de Blade Runner, com roteiro de Archie Goodwin, desenhos de Al Williamson e Carlos Garzon, e pintura de Williamson, Dan Green e Ralph Reese.

Continuar lendo

Blade Runner 8 Bit

O canal CineFix realiza versões de clássicos do cinema no nostálgico formato de jogos 8 bits. Geralmente são vídeos de curta duração, entre 2 e 3 minutos, apenas com a trama principal do enredo. O resultado é incrível, surpreendendo com detalhes marcantes para quem já assistiu ao filme. Confira a versão feita para o clássico Blade Runner:

Canal no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCVtL1edhT8qqY-j2JIndMzg